Capelania Alemã

Contactos:

http://www.vozdaverdade.org/site/index.php?cont_=ver2&id=4067

Sabemos porém que, ao longo dos vários séculos, os sacerdotes desta comunidade provinham de irmandades, tais como a de São Bartolomeu, ou de conventos franciscanos e jesuítas em Lisboa, onde viviam quase sempre religiosos oriundos de territórios de língua alemã – muitas vezes aguardando a sua partida para as missões católicas no ultramar. Com o início do século XVIII, a comunidade vive um novo período decisivo quando, em 1708, a esposa de D. João V e irmã do imperador Carlos VI, Mariana de Áustria, recorrem a carmelitas do seu país a fim de garantir aos crentes de expressão alemã uma assistência religiosa regular e organizada. Sob sua tutela, foi consagrada em 1737 a igreja de São João Nepomuceno (perto do Largo de Camões) a que pertencia também um hospital. Conhecida como a “Igreja dos Alemães”, foram aqui celebradas missas mesmo após o grande terramoto de 1755, como, por exemplo, a 16 de maio de 1790, dia de São João Nepomuceno. Posteriormente, foi edificada uma segunda igreja na Rua dos Fanqueiros, nº 113-117 da qual ainda restam alguns traços da fachada do antigo convento.

No entanto, a vida na comunidade sofreu um grande retrocesso a partir de 1834, ano em que a ordem carmelita foi expulsa de Portugal. Todos os conventos foram extintos, apenas algumas exceções foram feitas como, por exemplo, a favor dos dominicanos irlandeses ou dos lazaristas franceses. Para os católicos de língua alemã criava-se então uma situação insuportável a manter-se por quase cem anos. Enquanto às comunidades irlandesa, francesa, italiana e até inglesa eram concedidas igrejas próprias com sacerdotes vindos dos seus países, os alemães dispunham apenas de uma capela (a de São Bartolomeu) na igreja de São Julião. Mesmo assim, a liturgia era celebrada por padres portugueses. Esta realidade permanece quase inalterada durante o reinado de D. Fernando de Coburg-Gotha.

Uma comunidade católica de língua alemã foi oficialmente criada em 1927 pelo Patriarcado de Lisboa em cooperação com a Conferência Episcopal de Alemanha o Padre Victor Wurzer, sendo o primeiro Capelão até 1962. Depois do Padre Wurzer seguiu-se o Padre Dr. Erwin Helmle, SAC que foi o Capelão da Comunidade de 1962 até 1986. Ele também dava aulas de arqueologia e de história de artes num instituto percursor da atual Universidade Católica de Lisboa. O capelão Helmle foi o principal responsável pela criação da comunidade e empenhou-se vivamente em reunir todos os católicos de língua alemã residentes na área da Grande Lisboa. Deve-se a ele junto da Embaixada da Alemanha a aquisição da Igreja de Nossa Senhora das Dores, assumindo a Irmandade “Nossa Senhora das Dores”. Junto à igreja foi construído o salão paroquial e a casa paroquial.

Os capelães seguintes foram os Padres: Sandmann, Hungerbühler, Mgr. Fischer, Rotermann, Gambietz e P. Bernard Wolf OMI. De 1974 até 2012, uma assistente pastoral, Annelies Czapke, dava junto com os reitores assistência aos católicos de língua alemã na cidade de Lisboa. Em Maio de 2012 assumiu a assistência dos fiéis católicos de língua alemã em Lisboa e no Porto o Padre Cristian Uptmoor, sacerdote da Arquidiocese de São Paulo/Brasil.

Atividades – Missas Dominicais

Na nossa Igreja, situada na Rua do Patrocínio em Campo de Ourique, a Eucaristia em língua alemã é celebrada todos os Domingos, às 11 horas. No 2º Domingo do mês costuma-se celebrar uma missa especial para as famílias, tendo a seguir da celebração um momento de convívio com um almoço comunitário. Também os dias de festa, especialmente com tradições específicas da Alemanha, Áustria e Suíça, como a festa de São Nicolau, são momentos fortes de comunhão.

Sacramentos

Batizados, a celebração da Primeira Comunhão e do Sacramento do Crisma são celebradas para os filhos e filhas dos membros da Comunidade como também são oferecidos para o Colégio Alemão de Lisboa. Todos os anos, entre 15 e 25 crianças participam, depois da catequese, pela primeira vez na mesa do Senhor. De dois em dois anos, jovens da Comunidade recebem o Santo Crisma. Este ano vamos contar com a presença do Bispo responsável pelos migrantes alemães D. Heiner Koch, Bispo de Dresden-Meissen.

Atividades comunitárias

Além das celebrações Dominicais e dos Sacramentos, a Comunidade Nossa Senhora das Dores desenvolve durante o ano uma programação para todas as idades. Para os membros da terceira idade são organizados encontros de convívio ou passeios na região. Para as famílias, o Domingo da Família, com missa e um almoço comunitário. Um momento forte é também nossa peregrinação anual à Nossa Senhora de Fátima, junto com a comunidade do Porto. Também passeios ou viagens são organizados como em 2013 para Beja e este ano para Roma.

A organização destes eventos cabe ao Conselho Pastoral e Comunitário da Igreja Católica de língua alemã. Oito membros, que são eleitos pela Comunidade, se reúnem regularmente para o planeamento da vida da comunidade. Um boletim Paroquial – Die Brücke (A Ponte) – informa os membros da comunidade sobre os eventos.

Uma peculiaridade das Comunidades Católicas de língua alemã no exterior é o trabalho ecuménico junto com a comunidade luterana alemã na cidade. Aqui em Lisboa as duas igrejas organizam um grande bazar beneficente no primeiro Domingo do Advento nas dependências do Colégio dos Salesianos em Campo de Ourique. Este bazar tornou-se um dos maiores encontros da Colónia alemã em Lisboa. Um bazar menor é organizado às vezes no último domingo da quaresma.

Três momentos fortes de oração em conjunto são organizados pelas duas igrejas. O Dia de Oração Internacional da Mulher em Março, um serviço religioso com convívio no final do ano letivo escolar e uma Celebração em Memória das Vítimas das Guerras e do Terrorismo em Novembro no Cemitério alemão e na nossa Igreja na Rua do Patrocínio. As duas Igrejas organizam também um encontro mensal para as crianças do Colégio Alemão no Estoril. Estes encontros acontecem na Casa São Bartolomeu, uma casa de repouso para Alemães no Estoril.

Assim, a Comunidade Católica de língua alemã “Nossa Senhora das Dores” procura oferecer aos migrantes católicos de língua alemã (alemães, austríacos, suíços e todos os outros que falam alemão), junto com os seus familiares, um lugar para vivenciar e partilhar a sua fé em Cristo Jesus.

texto e fotos pela Comunidade Católica de Língua Alemã