O pacto global para uma migração segura, ordenada e regular foi  adotado hoje formalmente em Marraquexe, Marrocos, após vários meses de negociações, com o apoio do Vaticano e de várias organizações católicas.

O texto expressa valores universais sob a forma de 23 objetivos gerias, como salvar vidas, prevenir o contrabando e o tráfico, proporcionar informação precisa, tornar possível um recrutamento justo, reduzir as vulnerabilidades na migração, gerir bem as fronteiras e investir no desenvolvimento de capacidades.

A delegação portuguesa presente em Marraquexe é liderada pelo primeiro-ministro, António Costa, integrando ainda o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro.

O Fórum das Organizações Católicas para a Imigração (FORCIM), em Portugal, defendeu a adoção dos Pactos Globais sobre Refugiados e para as Migrações Seguras, Ordenadas e Regulares, propostos pela ONU, destacando o potencial destes acordos “na construção de uma parceria global efetiva e na partilha real de responsabilidades e de esforços, em torno dos desafios da mobilidade humana”.

Agência Ecclesia – ler artigo completo aqui.